Archives

Jardim Botânico Plantarum

Situado na área urbana de Nova Odessa (Região Metropolitana de Campinas, a cerca de 120 km da Cidade de São Paulo – SP), o JARDIM BOTÂNICO PLANTARUM é um centro de referência em pesquisa e conservação da flora brasileira.
Foi idealizado a partir de 1990, por iniciativa do engenheiro agrônomo e botânico brasileiro Harri Lorenzi.
Com objetivo de contribuir para a conservação da flora brasileira, o pesquisador percorreu, por mais de 30 anos, a maior parte dos ecossistemas da América do Sul, em expedições científicas realizadas pelo Instituto Plantarum e parceiros, destinadas ao conhecimento e a conservação das plantas ameaçadas de extinção.

Plantarum

Como resultado de seu trabalho, publicou a quase totalidade dos livros sobre identificação de plantas em estilo popular no Brasil, e se sentiu motivado a apresentar ao público o acervo botânico vivo, fruto originado de sua pesquisa.

Plantarum_02

Em 1998, o Instituto Plantarum de Estudos da Flora adquiriu como sede, uma área de 10 hectares, anteriormente ocupada por uma fábrica de lançadeiras (peças feitas em madeira para uso na indústria têxtil). O terreno passou então a receber tratamento paisagístico e ambiental, sendo estruturado para o desenvolvimento das pesquisas científicas e para o cultivo sistemático das coleções botânicas em formação.
Em 2007, com um grupo inicial de 16 associados de diversas formações, foi fundado o Jardim Botânico Plantarum, que é uma organização não governamental, de caráter privado, sem fins lucrativos, cujos objetivos são o estudo e a preservação da biodiversidade vegetal brasileira e do meio ambiente, através de ações educacionais e de pesquisa.

Plantarum_3

Atualmente o acervo botânico vivo é constituído por mais de 3500 espécies vegetais, predominantemente de plantas nativas do Brasil.
O Jardim Botânico Plantarum é reconhecido pela Comissão Nacional de Jardins Botânicos e nossa atuação colabora para os objetivos da Estratégia Global para Conservação de Plantas.

Serviço:
Jardim Botânico Plantarum
Av. Brasil, 2000 – Nova Odessa – São Paulo
Dias de visitação: de quinta-feira a domingo
Horário de visitação: de 9 até as 17h.
Na área de visitação não há degraus, o que torna agradável a visita de pessoas com mobilidade reduzida ou com carrinhos de bebê.
Além dos acessos pavimentados é permitido andar no gramado!

Dia da Árvore

“Olha estas velhas árvores, — mais belas,
Do que as árvores mais moças, mais amigas,
Tanto mais belas quanto mais antigas,
Vencedoras da idade e das procelas…
O homem, a fera e o inseto à sombra delas
Vivem livres de fomes e fadigas;
E em seus galhos abrigam-se as cantigas
E alegria das aves tagarelas…
Não choremos jamais a mocidade!
Envelheçamos rindo! envelheçamos
Como as árvores fortes envelhecem,
Na glória da alegria e da bondade
Agasalhando os pássaros nos ramos,
Dando sombra e consolo aos que padecem!”
Olavo Bilac

dia da arvore

31529_405008362892_280279697892_4515490_2838206_n

Capim-rubro

Não me fio
em indivíduos
que se amam e não sabem se libertar

Não me fio
em alguns fios
que nos dão nós e esquecem de enlaçar

Não me fio
em nada nesse mundo
que impeça a Poesia de pousar – e repousar.
['capim-rubro', Lilly Falcão]

Foto: Cláudia Casella

Foto: Cláudia Casella

 

PennisetumO capim-do-texas é uma gramínea de folhagem densa e inflorescências muito ornamentais. As folhas são afiladas e longas, podendo ser verdes, avermelhadas ou roxas. As variedades mais comuns em cultivo são a Rubrum, Cupreum, Atrosanguineum e Purpureum. Deve ser cultivado em canteiros, formando maciços, bordaduras ou em vasos.  Necessita de sol pleno.

 

 

  • Nome Científico: Pennisetum setaceum
  • Sinonímia: : Phalaris setacea
  • Nome Popular: Capim-rubro
  • Família: Poaceae
  • Divisão: Angiospermae
  • Origem: África e Ásia
  • Ciclo de Vida: Perene